Texto de Aurélio Gonçalves Robles

Recursos da Divindade

OUTROS ASPECTOS DA MISERICÓRDIA DIVINA (RECURSOS DA DIVIDADE)

Todos sabemos que Deus é soberanamente justo e bom. Só que até hoje os homens não sabem reconhecer-lhe essa bondade, isto é: a humanidade só vê a bondade quando os ventos lhe sopram a favor, refrigerando seus ambientes.

Basta que o vento mude de direção ou sopre um pouco mais forte, para começarem as reclamações. Deus já não lhe parece tão bom, tão misericordioso.

Também está o ser humano muito distante de entender-lhe a justiça.

Acostumados com os desmandos dos governos terrestres, passam os seres humanos a esperarem ou a idearem um Deus formado pelos seus caprichos e pelas suas paixões que privilegie aqueles que lhes interessa, cometendo as maiores injustiças e aberrações com os que não lhes satisfazem os seus egos.

Numa palavra: o homem pinta um Deus com suas cores. Assim foi em todos os tempos. A princípio, um Deus extremamente severo e vingativo com a própria criação (seus filhos), à medida que foi o homem desenvolvendo o seu intelecto, foi também criando novas imagens para o Criador, mas sempre medindo-O pelos seus parâmetros. Ou seja, sempre construindo um deus à sua imagem.

Muito diferente do Deus que criou o homem.

No entanto, nem por isso o Grande Deus não abandonou o homem à sua própria sorte, embora sempre existindo de forma imutável a “Lei de causas e efeitos”. Isto é tudo que se faz gerar consequências, boas ou ruins. Este Deus, infinitamente misericordioso, permite e, mesmo quer, que o homem conheça e sofra os resultados das suas práticas, pois tornando-se consciente desses frutos procurará sempre realizar os melhores plantios, uma vez conhecedor dos frutos que podem produzir

Em todos os tempos, o Pai Celestial ampara as suas criaturas das mais diferentes formas, recorrendo sempre a processos que o homem não consegue enxergar e entender, visto que ainda não concebe que as dores, as enfermidades e as dificuldades, de um modo geral, têm por finalidade ajudar o ser humano a crescer livrar-se das mazelas que acumulou ao longo de sua existência como ser imortal que é.

Não obstante as suas indiferenças e seus alienamentos, Deus está sempre enviando recursos para que o homem, além de resgatar os seus débitos, evolua e cresça, rumo à perfeição que lhe está reservada.

Lendo o Livro “Câncer” do Dr. Paulo César Fructuoso, me deparei com algo curioso, – o subtítulo está compilado abaixo na íntegra - que me fez ver, se for comprovado pois, como se vai ter oportunidade de observar, lendo o texto na íntegra, a matéria ainda está em fase de estudo para passar a experimentação em serres humanos. Trata-se vírus Zika (Floresta Zika na Uganda – África), com o qual o departamento de Pesquisas da USP está fazendo alguns experimentos em camundongos (ratos). Consiste em aplicar células cancerígenas, desenvolvendo o câncer, ate atacar ossos, depois aplica-se o vírus Zika, este proliferam atacando e destruindo apenas as células cancerosas, consequentemente, eliminando o câncer.

Como as pesquisas havia sido suspensa com a pandemia, preferi deixar para comentar mais tarde, porém o Dr. Paulo César, voltou a tocar no assunto na última sexta-feira (dia 10/12/21).

De tudo isso o que mais me impressiona e, aliás, o autor do livro deu bastante destaque: é a precisão do Aedes aegypti, em escolher a mulher grávida e o vírus, entre bilhões de células, ele vai atacara célula-tronco cerebral, impedindo que es promova o crescimento norma das demais célula que completam o cérebro, com isto provoca a microcefalia no bebê.

Antes de passar para o fechamento das minhas observações, coloco uma, inteiramente pessoal. O Dr. Paulo César não tocou, razão pela qual vou colocar a minha opinião de forma de perguntas hipotéticas:

1. Estes Espíritos para serem missionário, ao mesmo tempo que expiam suas faltas, não estariam eles mesmo escolhendo as suas provas?
2. Se eles escolhem suas provas, não seriam eles os agentes de atração do vírus paras as suas células-troncos?
3. Sendo eles a atração do vírus deixado pelo Aedes aegypti na corrente sanguínea da mãe, todas estas que fossem vítimas desse mosquito, estariam condenadas a verem seu bebês nascerem anencéfalo ou Aedes aegypti seria direcionado para as mães cujos filhos já estariam previamente marcados para essa prova?

Na minha acanhada visão, acredito que as vítimas são quem os atraem e, quem esses vírus afetam (mas como eu disse isto é uma visão ou opinião pessoal, sem valores reais para crédito)

E fecho o meu comentário com a parte essencial, que me levou a essas considerações: o fato de serem, possivelmente, esses Espíritos (dos bebês), seres muito comprometidos com a Justiça Divina, mas conhecedores de seus reais débitos. O que os levariam a muitas reencarnações para refazerem seus cérebros perispirituais e resgatarem suas contas no Banco Divino (a própria consciência). Estes se propõe a uma única encarnação para a reparação encefálica, mas também missionária, quando sugerem estudos que, se confirmados, trarão grandes avanços nos tratamento dos cânceres, a princípios infantis, depois, com mais desenvolvimentos das pesquisas, podendo se tornar algo de inimaginável benefício para os diversos investimentos terapêuticos.

Então leiamos no livro a sequência: LIVRO “CÂNCER” ASPECTO HISTÓRICOS, CIENTÍFICOS E ESPIRITUALISTAS AUTORIA: Dr. PAULO CÉSAR FRUCTUOSO Capítulo X ASPECTO FÍSICO E CIENTÍFICO DO CÂNCER O VILÃO BENFEITOR

Durante a segunda década do século XXI, uma terrível infecção causada pelo vírus Zika acometeu milhares de crianças brasileiras ainda no ventre materno, em decorrência de terem sido suas mães picadas pelo mosquito da espécie Aedes aegypti, o agente transmissor, que foi isolado em macacos-rhesus da floresta Zika, em Uganda, no ano de 1947.

Trata-se de um vírus composto pelo ácido ribonucleico (RNA) de fita simples que está relacionado aos vírus da dengue, da febre amarela, da febre do Nilo Ocidental e da encefalite japonesa." Atribui-se a viajantes virêmicos, muitas vezes assintomáticos, a introdução do vírus nos países onde mosquitos suscetíveis da espécie Aedes foram infectados, iniciando e perpetuando os ciclos de transmissão local.

Injetado na corrente sanguínea da gestante, o microrganismo alcança e ultrapassa a placenta, infectando também o feto. Sendo um vírus neurotrópico (com afinidade pelo sistema nervoso), tem como alvo principal as células-tronco neuronais, embora acometa também outros neurônios em diferentes estados de maturidade, porém com menos intensidade. O vírus Zika absorve então a energia das células por ele infectadas, alterando a proliferação normal dos neurônios e a sobrevivência das células progenitoras neurais durante períodos críticos do desenvolvimento do cérebro fetal, aumentando drasticamente o índice de morte celular, desregulando e atenuando o crescimento dos neurônios cerebrais do ser em formação e causando a microcefalia das criança infectadas, resultando em graves e irreversíveis consequências.

Um dos aspectos que mais impressionam os pesquisadores de doença é a capacidade do vírus da Zika em vencer as defesas imunológicas da gestante, da placenta e replicar-se continuamente no cérebro dos bebês mesmo após o nascimento.

Entre as anomalias malignas relacionadas com as células-tronco do cérebro, uma das que apresentam maior complexidade é o denomina do glioblastoma. Trata-se de uma lesão de alta letalidade, com rápido crescimento e disseminação metastática, sendo especialmente resistente aos tratamentos convencionais contra a doença, o que leva ao óbito a maior parte dos pacientes por ele acometidos, em sua maioria crianças. Nestes, o tumor surge ainda na vida embrionária, sendo decorrente de alterações genéticas e epigenéticas que acometem as células neurais progenitoras durante o desenvolvimento do embrião.

Percebendo que as células-tronco neuronais eram as preferidas pela infecção causada pelo vírus Zika, pesquisadores da USP implantaram células componentes deste tumor em cérebros de camundongos e aguardaram a evolução da doença até que as metástases atingissem os ossos dos animais. Ao injetar em seu organismo o vírus Zika, perceberam que o mesmo causador da microcefalia em crianças promovia a eliminação de praticamente todas as células cancerosas, inclusive as metastáticas, sem afetar nenhuma outra célula dos camundongos. Observou-se também que outros tumores cerebrais, denominados meduloblastoma e tumor nematoide rabdoide atípico, também se mostraram sensíveis mesmo quando atingidos por pequenas quantidades do Zika."

Os autores do trabalho afirmam que o conjunto de resultados até momento sugere que vários tumores altamente agressivos do sistema nervoso central venham a ser abordados pela terapia com o vírus Zika no futuro. Tumores esses para os quais hoje existem poucas opções terapêuticas

E muito estranha a precisão de um Sistema Divino da Criação, considerado pela filosofia como infinito em todas as perfeições, que não inclua em seus desígnios a Lei da Palingenesia ou Reencarnação. Ele se utiliza de quatro seres vivos: vírus, inseto, gestante e feto. O vírus penetra no Aedes aegypti; o mosquito pica a gestante e injeta o Zika em sua corrente sanguínea; este atravessa a placenta e infecta o feto. Entre bilhões de células em formação, ele se dirige exatamente às genitoras cerebrais. Altera sua genética e absorve a energia para sua reprodução vertiginosa, impedindo-as, assim, de formar todos os neurônios de que a criança necessita, com uma incrível precisão.

São mais de três mil crianças e suas famílias envolvidas na teia do sofrimento, e entre estas a do próprio autor, cuja neta, Isabela, nasceu também microcefálica. A resposta já foi dada pelos espíritos a Allan Kardec em meados do século XIX, achando-se grafada para sempre no livro O Céu e O Inferno.

No Capítulo VII. "Princípios da Doutrina Espírita sobre as penas futuras", no Subcapítulo "Código penal da vida futura", Item 10, lê-se: O Espirito sofre, quer no mundo corporal, quer no espiritual, a consequência de suas próprias imperfeições. As misérias, as vicissitudes padecidas na vida corpórea, são oriundas das nossas imperfeições, são expiações de faltas cometidas na presente ou em precedentes existências.

Pela natureza dos sofrimentos e vicissitudes da vida corpórea, pode julgar-se a natureza das faltas cometidas em anterior existência, e das imperfeições que as originam.

Portanto, de acordo com o Código Penal da vida futura, esses Espíritos estão a colher o que plantaram em vidas pregressas; aumentando em decorrência do efeito das ações negativas, o peso especifico de s perispíritos que agora necessitam de um escoadouro para remodelação e remoção dos fluidos pesados ali alocados, principalmente no encéfalo pelas condutas equivocadas no passado, muito provavelmente relacionadas com o mau uso da inteligência.

Porém, um outro fator entra no jogo. Trouxeram consigo uma mis são de grande importância; um maravilhoso atenuante que certamente muito aliviará suas expiações. A solução para um gravíssimo problema que atormenta os neurologistas, neurocirurgiões e oncologistas terre nos: O mesmo vírus da microcefalia é capaz de eliminar a células malignas do glioblastoma infantil e mesmo de outros tumores malignos do cérebro. Só o Espiritismo Kardecista Cristão é capaz de explicar de forma lógica e racional esses dilemas, ainda sem respostas convincentes pelas religiões ou pela ciência

Termino este capitulo com as palavras da doutora Mayana Zats, uma das principais pesquisadoras envolvidas no projeto do tratamento de tumores cerebrais infantis pelo vírus Zika: Estamos empolgadíssimos. Ficamos tão emocionados que, a cada fase da pesquisa, a gente se abraçava. Vimos que o vilão pode ser um benfeitor.

Americana, 16 de dezembro, primavera de 2021.


Notícias

BAZZAR PERMANENTE

Todas terças feiras das 14:00 às 16:00 horas, temos bazzar beneficente, tudo a partir de R$ 1,00 (um real); compareça, traga amigos e parentes.



Pare a rolagem colocando o cursor do mouse sobre o texto
  Nosso site foi visitado - 81966 vezes - webmail   > > >   patriadoevangelho@patriadoevangelho.org.br